Sem máscaras, Bolsonaro, filho e ministros comemoram a independência dos EUA em Brasília

Presidente participou de almoço em celebração da data. Nesta semana, ele vetou trecho de lei que obrigava máscaras em estabelecimentos comerciais, industriais, templos religiosos e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas.

Por G1 — Brasília

O presidente Jair Bolsonaro, ministros do governo e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) comemoram o dia da independência dos Estados Unidos em um almoço neste sábado (4), em Brasília, com o embaixador norte-americano, Todd Chapmann.

Sem máscaras, Bolsonaro e ministros se reúnem com embaixador americano

–:–/–:–

Sem máscaras, Bolsonaro e ministros se reúnem com embaixador americano

Bolsonaro, os ministros e o filho do presidente apareceram em fotos, divulgadas pelo próprio presidente, sem máscaras de proteção – equipamento necessário contra a disseminação da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Entre os ministros que acompanharam Bolsonaro no almoço estavam: Braga Netto (Casa Civil), Ernesto Araújo (Relações Internacionais), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Fernando Azevedo (Defesa).

Bolsonaro e ministros posam para foto em celebração da independência dos Estados Unidos — Foto: Reprodução

Bolsonaro e ministros posam para foto em celebração da independência dos Estados Unidos — Foto: Reprodução

Em Brasília, decreto do governo distrital obriga o uso de máscara em locais públicos, o que não era o caso do almoço deste sábado.

Na sexta-feira (3), foi publicado no “Diário Oficial da União” o veto de Bolsonaro ao trecho de uma lei que previa a obrigatoriedade do uso de máscaras em órgãos e entidades públicos e em estabelecimentos comerciais, industriais, templos religiosos e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas. O presidente argumentou que o trecho “incorre em possível violação de domicílio”.

O uso de máscaras, assim como o distanciamento social, é recomendado pelas autoridades sanitárias, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), como uma das principais ações de prevenção contra o contágio pelo novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, em algumas ocasiões, Bolsonaro foi a locais públicos em Brasília, provocou aglomerações e não usou máscara.

A Advocacia-Geral da União conseguiu na Justiça uma decisão que derrubou determinação judicial que obrigava o presidente a cumprir a regra do uso de máscaras.

‘Corajoso discurso’

Depois de participar do almoço com o embaixador norte-americano, Bolsonaro utilizou uma rede social para parabenizar o presidente Donald Trump e o povo estadunidense pela data comemorativa.

Bolsonaro disse que ele e Trump, como “líderes das duas maiores democracias ocidentais”, trabalham pelos “ideais de liberdade, democracia e dignidade humana”.

O presidente brasileiro também cumprimentou Trump pelo discurso feito nesta sexta-feira (3), no qual o norte-americano falou em “revolução cultural de esquerda” ao se referir a recentes protestos nos Estados Unidos. Para Bolsonaro, o pronunciamento de Trump foi “belíssimo e corajoso”.

“Palavras de um grande estadista. Que o legado e os valores dos fundadores dessa grande nação [os EUA] permaneçam sólidos e jamais sejam apagados por radiciais”, declarou Bolsonaro.

As mensagens foram publicadas em português e em inglês.

Sobrevoo em Santa Catarina

Mais cedo, neste sábado, ele viajou para Florianópolis. Lá, de helicóptero, sobrevoou uma das regiões mais atingidas pelo “ciclone bomba” no estado.

Ao menos 165 cidades catarinenses tiveram danos com a passagem do “ciclone bomba”, que causou ao menos 11 mortes em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.

Comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *