Menina de 11 anos escreve bilhete e mãe se esconde para flagrar estupro

Uma menina de 11 anos de idade escreveu um bilhete em que dizia que o seu próprio padrasto “mexia” com ela. “Mãe, o [nome do padrasto] meche (sic) comigo”, está escrito no papel a que o G1 teve acesso. Por conta disso, o homem, de 36 anos, foi preso em flagrante por suspeita de estupro de vulnerável em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

De acordo com o G1, a mãe da vítima resolveu se esconder dentro da própria casa após receber esse bilhete da filha. Ela já desconfiava do crime após perceber uma mudança de comportamento da criança. Com o plano, a mãe acabou flagrando o padrasto no quarto junto com a filha e, em seguida, conseguiu levou o caso à polícia. O homem foi preso em flagrante na quarta-feira, 15, no bairro Jardim Trevo, e ainda tentou negar o crime.Publicidade

x

O plano

À polícia, a mulher relatou que, após ler o bilhete da filha e suspeitar do estupro, ela disse ao marido que iria trabalhar, mas se escondeu em casa. Ela contou que permaneceu escondida, e posteriormente o padrasto colocou a enteada, utilizando a força, dentro de um quarto.

Depois disso, a mãe da criança saiu do local em que estava escondida e o flagrou de cueca ao lado da menina, no que parecia ser uma tentativa de estupro. Ela chamou os policiais, que foram até a residência, e o prenderam em flagrante.

A menina passou pelo Instituto Médico Legal (IML), onde foi constatado que ela tem lesões de abusos que aconteceram anteriormente, segundo informações da Polícia Civil. “Quer dizer que a situação vem ocorrendo há algum tempo”, reitera o delegado.

O caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher de Praia Grande como estupro de vulnerável, e representado pela prisão preventiva do suspeito.

Como denunciar casos de abuso infantil e como orientar a criança

Casos como esse da Praia Grande não são incomuns, infelizmente. Saber orientar a criança e ter em mente o que fazer quando você descobrir ou suspeitar de um caso de abuso infantil é fundamental para ajudar na investigação e possível prisão do suposto criminoso.

Para quem não sabe, segundo o estudo da Rainn, a maior organização social contra a violência sexual dos Estados Unidos, 93% dos casos acontecem quando o agressor é próximo e tem “poder” sobre a vítima, como pais, primos, tios, avôs, vizinhos e professores.

Embora o abuso infantil seja um tema complicado de ser abordado, ele é extremamente importante. Primeiro, porque é algo que acontece frequentemente em muitos lares brasileiros e, segundo, porque ele pode ter consequências danosas às vítimas.

Por isso, é de extrema importância que os pais estejam cientes de todas as informações possíveis. 

Comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *