Aniversário de Brasília: tour virtual permite conhecer capital sem sair de casa

Iniciativa é da Secretaria de Turismo do Distrito Federal. Plataforma tem sete rotas e inclui 80 pontos turísticos.

Ponte JK, em Brasília  — Foto: Joelson Maia/TV Globo

Ponte JK, em Brasília — Foto: Joelson Maia/TV Globo

Para comemorar o aniversário de 60 anos de Brasília, a Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF) lança, nesta terça-feira (21), um tour virtual para pessoas que estão em isolamento social. De casa e pela internet, o usuário pode visitar sete rotas e mais de 80 pontos turísticos na capital.

A visita está disponível no site. De acordo com a pasta, é possível conferir as linhas e curvas da arquitetura de Oscar Niemeyer, os lugares icônicos e os menos conhecidos. Além disso, conhecer os “tesouros naturais escondidos” pelas regiões do DF, como o Parque Nacional de Brasília e a região rural do Viva Lago Oeste.

Segundo a secretária de Turismo Vanessa Mendonça, a ação tem como objetivo fortalecer o turismo na capital. “É uma forma inovadora, simples e acessível de apresentar a cidade como destino para turistas de todo o Brasil e do mundo”, disse.

“Também temos a certeza de que esse passeio digital vai inspirar muitas viagens no futuro. Por enquanto, pedimos que todos fiquem em casa, mas Brasília espera ansiosa para receber pessoas de todo o mundo.”

Brasília Tour Virtual — Foto: Setur-DF/Divulgação

Brasília Tour Virtual — Foto: Setur-DF/Divulgação

Grupo de trabalho

A Secretaria de Turismo do DF anunciou também que planeja criar um grupo de trabalho para discutir soluções de enfrentamento da crise do novo coronavírus. A ideia, segundo a pasta, é reposicionar a capital como destino turístico.

A iniciativa denominada “Juntos por Brasília, Juntos pelo Turismo” tem como objetivo desenvolver relatórios, estratégias, diretrizes e atividades para pós-pandemia. Segundo a secretaria, a área de turismo foi uma das mais afetadas pela Covid-19.

26 de março - Praça dos Três Poderes, ponto turístico de Brasília, é vista sem movimento após restrições devido ao coronavírus — Foto: G1/Carolina Cruz

26 de março – Praça dos Três Poderes, ponto turístico de Brasília, é vista sem movimento após restrições devido ao coronavírus — Foto: G1/Carolina Cruz

O grupo será formado por 19 entidades do setor e serão organizados por afinidades e área de atuação, como eventos, rotas e nichos turísticos, gastronomia, qualificação, serviços, hospitalidade e artesanato.

Medidas de contenção

Desde 11 de março, por conta do avanço do contágio do vírus, o governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou uma série de medidas de isolamento para combater o novo coronavírus. As restrições valem até 3 de maio.

Veja restrições abaixo:

  • Suspensão de eventos que precisem de alvará do GDF;
  • Suspensão das atividades de cinemas e teatros;
  • Fechamento de academias;
  • Mudança no atendimento de órgãos públicos;
  • Fechamento de parques, boates, feiras e shoppings;
  • Fechamento de shoppings (exceto farmácias, laboratórios e clínicas)
  • Fechamento de lojas, bares e restaurantes;
  • Fechamento de salões de beleza, barbearias, esmalterias e centros estéticos;
  • Suspensão de missas, cultos e celebrações religiosas
  • Proibição do comércio ambulante em geral.

Os estabelecimentos que podem ficar abertos são:

  • Feiras permanentes listadas em decreto, desde que estejam abertas apenas lojas exclusivas de gêneros alimentícios, sendo proibido consumo no local
  • Clínicas médicas;
  • Clínicas odontológicas
  • Clínicas veterinárias (em casos de emergência);
  • Laboratórios;
  • Farmácias;
  • Funerárias e serviços relacionados;
  • Pet shops (caso tenham veterinários, vendam remédios ou produtos sanitários para animais);
  • Postos de combustíveis;
  • Supermercados;
  • Minimercados, mercearias e afins;
  • Comércio estabelecido de produtos naturais, bem como de suplementos e fórmulas alimentares, sem consumo no local;
  • Comércio estabelecido varejista e atacadista de hortifrutigranjeiros;
  • Lojas de materiais de construção e produtos para casa;
  • Padarias;
  • Fábricas e lojas de bolos caseiros e pães;
  • Atacadistas;
  • Peixarias;
  • Operações de delivery;
  • Oficinas mecânicas, exceto de lanternagem e pintura;
  • Concessionárias de veículos;
  • Estandes de compra e venda de imóveis;
  • Borracharias;
  • Agropecuárias (com venda de insumos, medicamentos e produto veterinários);
  • Serviço de tele-entrega em feiras permanentes e/ou populares;
  • Empresas de construção civil (sem atendimento ao público);
  • Lotéricas;
  • Agências bancárias
  • Lojas de conveniência em postos (sem consumo no local);
  • Empresas de tecnologia, exceto lojas de equipamentos e suprimentos de informática;
  • Lavanderias (exclusivamente no sistema de entrega em domicílio);
  • Floriculturas (exclusivamente no sistema de entrega em domicílio);
  • Empresas do segmento de controle de vetores e pragas urbanas;
  • Construção civil;
  • Óticas.
Comentários

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *