1º de Junho: Dia da Imprensa

Dia da Imprensa é comemorado no dia 1º de junho.

A imprensa é fundamental na sociedade industrial e da informação. Por isso, preservar a liberdade de expressão e de imprensa é um dever de todas as democracias.

Quando mencionamos “imprensa” estamos incluindo os jornais e revistas, rádio e televisão. Este meios devem pautar seu trabalho pela ética e pela isenção sem favorecer nenhum lado numa reportagem.

Origem do Dia da Imprensa

No Brasil, o Dia da Imprensa se comemorava, até 1999, no dia 10 de setembro, por ser a data da primeira circulação do jornal Gazeta do Rio de Janeiro, em 1808, periódico da Corte.

Em 1999, a comemoração do Dia da Imprensa mudou de data e passou a ser celebrado no dia 1º de junho porque foi a data em que começou a circular o jornal Correio Braziliense, fundado por Hipólito José da Costa.

Este periódico iniciou suas publicações em 1808, mas era um jornal clandestino e começou a circular cerca de três meses antes.

Assim, em 1999 foi oficialmente reconhecido esse fato, e a Lei Ln.º 9.831, de 13 de setembro de 1999 definiu a mudança do Dia da Imprensa para 1º de junho.

Dia da Imprensa

Quarto Poder

O poder de influência da imprensa é tão grande que muitos lhe chamam de “Quarto Poder” em alusão aos três poderes políticos: Judiciário, Legislativo e Executivo.

Por isso, nas ditaduras, a primeira medida que o governo toma é controlar a imprensa através da censura ou do fechamento dos meios de comunicação.

Por outra parte, nas democracias, vive-se muitas vezes a auto-censura, e as vezes um jornal não publica determinada matéria porque pode prejudicar um grupo econômico ou político que pode se voltar contra o periódico.

Frases sobre o Dia da Imprensa

  • A forma mais fácil de dominar uma nação é a desinformação, ou informação manipulada, por isso quanto mais controle o governo tiver sobre a mídia, mais fácil atingir seus objetivos. Tamy Henrique Reis Gomes
  • Não se pode falar em “liberdade de expressão” de uma imprensa que divulga apenas fatos transitado e julgado, isso não é imprensa, é mural de informações. Janicelio
  • Eficiência do poder público, transparência e liberdade de imprensa – especialmente de imprensa – são remédios para a construção de sociedades prósperas e de elevados padrões éticos. Miral Pereira dos Santos

A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA

Uma forte democracia incentiva uma imprensa livre — uma que mantém o público informado, permite uma diversidade de vozes e responsabiliza os líderes.

Há tanta notícia ao nosso redor — na internet, na tevê, no rádio e em jornais — que é fácil esquecer do importante papel que os jornalistas desempenham.

Nos EUA, a imprensa é às vezes chamada de quarto poder do governo. Embora os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário sejam legalmente apenas três, a frase enfatiza o papel que a mídia de notícias exerce em monitorar as operações do governo e responsabilizar os líderes.

Uma importante função da imprensa é informar: para ajudar os cidadãos a compreender os muitas vezes complicados processos do governo, e conscientizar as pessoas de como as decisões tomadas nos níveis mais altos as afetarão.


A imprensa também permite que as pessoas expressem e ouçam opiniões diferentes das pessoas que estão no poder. Relatar as opiniões de líderes de oposição e publicar editoriais críticos das atividades governamentais possibilitam uma diversidade de vozes. Líderes comprometidos com a democracia provavelmente não gostam que suas políticas sejam desafiadas publicamente, mas defenderão o direito da imprensa de fazê-lo.

A imprensa tem um importante papel de supervisão, às vezes expondo a corrupção. É precisamente porque a imprensa está fora do governo que ela pode informar o público quando seus líderes não estão cumprindo as promessas que fizeram para serem eleitos.

Quando os jornalistas são ameaçados, atacados, censurados ou presos, é um ataque direto à liberdade de expressão de uma sociedade.

Uma democracia forte incentiva uma imprensa livre. Um governo que se coloca em oposição à sua imprensa cria um clima no qual os jornalistas podem se censurar por medo, em vez de um em que, como o ex-juiz da Suprema Corte William Brennan disse, o debate sobre questões públicas é “desinibido, robusto e amplo”.

A imprensa tem um importante papel de supervisão, às vezes expondo a corrupção. É precisamente porque a imprensa está fora do governo que ela pode informar o público quando seus líderes não estão cumprindo as promessas que fizeram para serem eleitos. Quando o secretário de Estado, John Kerry, discursou no início deste ano na abertura oficial do novo prédio do Washington Post, ele percebeu que o jornal exibia a frase “nem mesmo o presidente dos Estados Unidos está acima da lei”. A publicação ajudou a expor o escândalo de Watergate durante o governo do presidente Richard Nixon nos anos 1970.

Quando os jornalistas são ameaçados, atacados, censurados ou presos, é um ataque direto à liberdade de expressão de uma sociedade. A cada ano HumanRights.gov destaca jornalistas perseguidos com a campanha “Liberte a Imprensa”*.

Uma democracia forte incentiva uma imprensa livre. Um governo que se coloca em oposição à sua imprensa cria um clima no qual os jornalistas podem se censurar por medo, em vez de um em que, como o juiz da Suprema Corte William Brennan disse, o debate sobre questões públicas é “desinibido, robusto e amplo”.

Comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *